TRAJETO E EVOLUÇÃO DA CENTELHA ENERGÉTICA ESPIRITUAL

Encontrei a imagem abaixo no mural do amigo António Rosa mas sem nenhuma explicação sobre ela.
Movida pela curiosidade e interesse em saber do que se tratava, fiz uma busca na internet e acabei por achar um texto (que segue logo abaixo).
Devo confessar que não entendi algumas colocações, além de não acreditar nas tais almas gêmeas nele citadas.
Enfim, respeito a opinião do autor do texto e, por tabela, de quem nelas acredita.
Para ser sincera, a imagem é bem mais interessante do que o texto em si.
Bom, de toda forma vale a pena ler, filtrar e refletir.


Conforme a disposição de quem contempla a abóbada celeste, ela pode representar figuras mitológicas para a fantasia; trêmulas e brilhantes estrelas para os namorados, corpos celestes para os astrônomos; campos de pesquisa através de cálculos hiperbólicos, para os cientistas. 
Para o espírito porém, o Universo é o circulo restrito de uma passagem evolutiva para o centro da vida, por onde ele é reabsorvido para o Alto, segundo leis de combinação e compensação que Deus dá à centelha energética espiritual e ao átomo permanente material.

Sigamos sem temor, o grande caminho destas duas forças através do tempo e do espaço. 
Isto poderá parecer um sonho, mas nada é realizado antes que seja sonhado e depois idealizado. 
Em toda a história da Humanidade, o homem reconheceu uma ligação entre o poder imaginativo e o futuro.
Vamos, assim, efetuar a viagem maravilhosa do ciclo evolutivo, de Vênus a Saturno, passando por Urano, Terra, Júpiter, Marte e Sol. 
São 7 astros, que além do significado simbólico do seu número, podem dispor-se, em relação ao ciclo do espírito, formando um triângulo, cujos vértices são representados pela Terra, Urano e Saturno, enquanto o Sol, com sua energia, protege e beneficia o átomo permanente material (APM) que parte do seu seio e evolui com a centelha energética espiritual (CEE) para, através do resgate dos karmas planetários, cooperar na grande viagem do espírito.
A centelha energética espiritual percorre os lados do triângulo passando duas vezes pelo Sol, uma, vindo de Saturno, para receber o átomo permanente material e outra, no seu percurso de Marte e Saturno, para depositá-la no quase término de sua evolução, naquela estrela.
Onerada pelo peso material recebido, a centelha energética espiritual vai a Vênus, onde ambas as forças se cindem, afim de que, separadas, comecem cada qual o seu karma.
São as famosas "almas gêmeas".
Os componentes da unidade primitiva vão a Urano, onde o espírito, oprimido pela primeira formação da matéria, entra num sonho quase inconsciente, encerrado na sua prisão física.
Na 3ª etapa, ele sobe à Terra, onde a matéria envolve a centelha energética espiritual e ela supera o primitivo estado de inconsciente aniquilamento.
Deixando a Terra, hei-la em Júpiter onde as duas forças (espiritual e material) se equilibram, até que em Marte o espírito adquire predomínio dos dualismos.
Superando, por mérito próprio, os obstáculos da carne, torna-se inútil o átomo permanente material.
Por isso, o espírito volta ao Sol, não para depositar o átomo permanente material que recebeu, mas apenas a sua metade; a outra metade será depositada pela sua alma gêmea.
Livre, pelo seu merecimento, da prisão material, o espírito vai a Saturno, o astro sublime, onde aguarda a sua alma-complemento para reconstituir, enriquecida por uma nova potência adquirida através da purificação, a unidade espiritual primitiva e seguir para novos e desconhecidos Universos.
Nesta síntese vemos que conforme um maior ou menor predomínio na matéria, os astros se acham dispostos em 3 planos que representam os 3 graus fundamentais da evolução nos 3 estados de vida: físico, fluídico e etérico, e etérico astral.
O 1º compreende Vênus, Urano, Terra com o predomínio da matéria.
O 2º que é o plano do equilíbrio e de domínio das energias da alma, se estende de Júpiter a Marte e o 3º plano etérico-astral tem apenas Saturno que domina o triângulo e representa o ápice do vértice superior.
Os 6 planetas estão dispostos de tal forma que a evolução de um termina onde começou, em séculos remotíssimos a do astro que o segue.
Por exemplo, os primitivos desenvolvimentos da Terra coincidiram com os últimos de Urano.
É bom notar que todos os astros que fazem parte de um Universo entram indistintamente na obra da evolução, porque mesmo os não citados na exposição ora feita, representam na sua sequela, as necessárias pausas nas quais o espírito procura retemperar-se após as passagens através os planetas de evolução física.

"Saturno o planeta coroado" - sua missão, "Justiça"

1º anel - Sono sereno
Redemoinho do letargo espiritual, 3 anéis, espera da outra metade da centelha.

2º anel - Seleção hierarquia - Missão especial.

3º anel - Apoteose energética e ambiental, tonalidades correspondentes à música, harmonia celeste.

Saturno: final da viagem da centelha em sua evolução aos 7 planetas do Sistema Solar.

Saturno: único planeta que tem anéis concêntricos, possui 13 luas que servem de ponto de repouso à centelha antes de entrar no planeta.

Saturno: é o ápice da evolução do espírito, traz em si a execução da lei da Justiça, daí o sentimento negativo da humanidade em relação a Saturno, o que não é correto.

Notas:
Passado o período de antecipação para a entrada em Saturno, no 1º anel, o espírito entra num sono tranquilo e tem uma visão de todo o seu karma.
Chega ao local do "redemoinho" numa calma tranquila até aguardar a sua metade que comumente não caminha junto. Poderá permanecer anos, séculos, até a reconstituição do binômio. Pode também pedir autorização para voltar e buscar a sua metade. 
É o caso de Ramasar que se encontra em missão junto a nós e o Mestre. 
"Ele é a própria Sabedoria, possui todos os conhecimentos".

É um dos "Sete Instrutores da Humanidade".

No 2º anel o espírito já recompôs sua unidade e é qualificado hierarquicamente podendo descer em missão à Terra para dar novo impulso à civilização.

No 3º anel encontra a apoteose, cada cor tem sua tonalidade, cada cor corresponde a uma música, é uma verdadeira sinfonia celestial, entra em contato direto com a Divindade. Então entrará em outros sistemas mais evoluídos, provavelmente "Andrômeda"".

Obs.: Júpiter possui 11 satélites e é chamado "O Gigante do Sistema"

Marte - os canais visíveis são "zonas de evolução do espírito"

Percurso que a centelha espiritual faz até a volta ao PAI - sentido oculto da Oração dos Profundos Abismos.
A centelha apanha no Sol seu átomo permanente material e desce a Vênus.
Em Vênus divide-se em positivo e negativo, estado de torpor quase inconsciente para a afinidade entre espírito e matéria.
Em Urano a matéria começa dificilmente a predominar, levando séculos na Terra.
As centelhas se separam, se perdem e a evolução é independente.
Almas gêmeas.
Em Júpiter, há o equilíbrio entre a centelha e o átomo.
Em Marte, o triunfo do espírito sobre a matéria, cria através do pensamento, é uma felicidade completa.
Em Saturno, sétimo planeta, a centelha passa pelo Sol, deixa a metade do seu átomo material permanente e vai para Saturno, aguardando a sua contraparte, sua alma gêmea completando o círculo.

Os demais planetas participam da evolução como estações de repouso da centelha mas sem evolução.

A Centelha do átomo libera-se progressivamente. Ela irradia-se na pedra desabrocha na flor, sente no animal, deseja no homem, aspira no homem desenvolvido, ama e planeja no discípulo, sacrifica-se nos Mestres, e atinge sua casa, destino e propósito e se converte no seu Eu Real.


Compilado da aula do Mestre Ergos São Paulo
Fraternidade Branca Universal do Arcanjo

Retirado de:
http://despertar.alkalay.net/trajeto-e-evolucao-da-centelha-energetica-espiritual.html


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ANIS ESTRELADO E A GRIPE H1N1

ORAÇÃO AO JUSTO JUIZ - ORAÇÃO DA PROSPERIDADE - ORAÇÃO DE AGRADECIMENTO

NÓDULOS LUNARES - DESCUBRA QUAL É O SEU CARMA