ATRIBUTOS DOS MONASTÉRIOS - ENTREGA DO SER - Faixa 3

Continuando as transcrições das partilhas de Trigueirinho, segue abaixo a 3ª faixa de uma série de 84: 
"Alargar limites e arrancar as rochas que não se aplainam por si"

A partilha propriamente dita, começa aos 19:53 minutos (texto em azul), uma vez que antes disto, Trigueirinho faz uma explicação do que são estes atributos e da forma como o grupo Entrega do Ser poderá trabalhar com os mesmos.


Baixe e ouça em http://www.irdin.org.br/acervo/detalhes/12463

Nós vamos estudar o Atributo número 3 do Grupo Entrega do Ser que diz: Alargar limites e arrancar as rochas que não se aplainam por si.
Esse grupo A Entrega do Ser, não representa uma atitude passiva nossa, por causa da palavra entrega. A entrega do ser não é uma passividade mas ela dá muito trabalho e, se nós omitimos todas as etapas deste trabalho ou uma delas, a entrega fica incompleta. Este grupo da Entrega do Ser, ele apresenta estas quatro etapas, estas quatro fases do trabalho e como são 12 os Atributos há três Atributos para cada fase, para cada etapa. E como nós já estudamos quase todos os Atributos deste grupo, então nós já temos condições de ver o grupo como um todo e ver estas quatro etapas, porque aí vamos nos aprofundando neste trabalho de Entrega do Ser. Esses Atributos, esses 12 da Entrega do Ser, foram colocados aqui numa certa ordem e esta ordem é a ordem das etapas, mas isto não quer dizer que a gente não possa vivê-los ou que a gente não possa estudá-los concomitantemente, ou começar por um Atributo fora da ordem das etapas. A ordem cronológica não é importante, então nós vamos ver os Atributos que compõem cada etapa, vamos ver um deles hoje, mas vocês compreendendo e sentindo a necessidade de trabalhar A Entrega do Ser, podem começar por qualquer um. Então, nós falarmos em etapas aqui neste grupo de Atributos, não quer dizer que vocês sigam a ordem das etapas, mas que façam, que vivam os Atributos segundo a atração que sentirem por eles.
Entregar o Ser, que é um trabalho longo e minucioso, num certo sentido, entregar o ser é mudar radicalmente a posição da nossa consciência. Como não se pode fazer isto de uma vez, você não pode fazer uma volta de 180 graus com a consciência, tudo de uma vez, então os Atributos são 12 e eles vão cobrindo as etapas pra se dar esta reviravolta mas, onde se chega com estes Atributos com a  Entrega do Ser é numa mudança radical.
Que mudança é esta? É a mudança que todos devem fazer um dia, mas que não tem consciência de que devem fazer esta mudança, isto é, a consciência comum, a consciência humana, o ser que ainda não se entregou, que não fez a sua entrega, a consciência deste ser está sempre no centro de tudo, então, ele está no centro, ele é o ponto focal de tudo. O que ele vê, o que ele sente, o que ele percebe, tudo é em função de ser com ele, dele estar no centro, percebe... Todo mundo é assim, quem ainda não está entregue.
Então, é o que se passa comigo, é nisso que eu me baseio para agir, não é? Quase todo mundo é assim. E isto é realmente a entrega zero, porque se você reage, se você age, se você vive, se você decide em função do que se passa com você, como todo mundo faz, você realmente não entregou nada, você pensa que entregou. Então você tem um modo de ver as coisas e você começa a determinar tudo segundo aquele modo que você tem de ver as coisas, ou segundo aquele modo que você tem de sentir as coisas, de perceber as coisas; e aqueles que são mais inteligentes dizem: " bom, eu vou basear tudo no meu modo de compreender as coisas". Não é isto que todas as pessoas boas fazem? Esta gente toda não está entregue, porque eles se baseiam neles, eles se baseiam no que eles sofrem, no que eles passam, no que eles percebem, no que eles vêem, no que eles compreendem. Mesmo que ele esteja compreendendo uma coisa, como compreendem os sábios, ele não está entregue, porque ele está se baseando no que ele compreende. Ele está se colocando no centro de tudo e isto é a consciência comum, desde os menos evoluídos até os mais evoluídos. Quando na entrega do ser, quando o ser está entregue, isto não existe mais, porque aí, não está nada mais sendo baseado em mim como centro, não é naquilo que eu estou sentindo, nem percebendo, nem compreendendo e nem vivendo. Não é nisto que eu estou me baseando. Isto pode continuar existindo, mas eu não me baseio nisso. Então o trabalho de entrega do ser, não é bem você se oferecer assim como você é, porque assim como você é, serve para bem pouco. Porque você vai fazer uma coisa de um outro jeito, mas você está sempre no seu centro, percebe? Então entrega do ser não é isto. Você dizer: "eu me ofereço pra isto, eu me entrego pra isto, esta é a minha entrega". Isto tudo é muito nobre, é muito bonito, mas entrega não é bem isto. Entrega é você deixar de estar no centro. É de você determinar as coisas, não por aquilo que você está percebendo, sentindo ou vivendo ou vendo ou compreendendo. Esta gente pensa que está entregue mas não está. A entrega começa quando você se baseia não no que se passa como você, mas quando você se baseia no que se passa com todos.
E qual é a gradação da entrega? Quando é que nós estamos mais ou menos entregues?
Nós estamos menos entregues, quando nós começamos a nos basear naquilo que se passa com o outro, com aquilo que nós estamos compreendendo do outro, e vamos estar cada vez mais entregues, quando nos baseamos com o que se passa em maior número de seres.
Então, o menos entregue, ele está se baseando no que se passa com o outro, que ele está percebendo. A entrega vai aumentando na medida que você vai percebendo o que se passa cada vez com um maior número de seres. Isto é que é entrega. Não é você estar disponível 4 horas por dia, depois fica disponível 8 horas por dia, fez uma entrega, não isso aí é outra coisa. Você faz uma entrega e você está fazendo a entrega e a sua entrega está se ampliando é quando você deixa de ser o centro e coloca o outro no centro, ou coloca alguns outros no centro ou coloca um grupo no centro e aí quando você coloca uma outra coisa no centro, não mais você, aí é que começa a entrega e esta entrega vai aumentando é quando você vai se baseando num maior número de pessoas e de seres e a entrega é completa, se se pode dizer isto, é quando você já sente todos. Então aí a consciência vai aumentando, esta é a entrega que vai aumentando. Então você vai por etapas.
Então se há uma entrega perfeita, você se baseia na necessidade de todos. Você está vivendo em função de todos. Você saiu do centro e não é um outro ser ou um grupo que tomou o centro, porque isto é uma entrega pela metade. O que tomou o centro, foram todos e, a entrega é para todos, e quando há um ser realmente entregue, ele como centro não existe mais e nenhum ou outro como centro ou grupo. Nada disto existe mais. Então o que está no centro são todos. O que está no centro é o TODO.
E essa entrega gradual, este movimento gradual, vai dando ao ser a capacidade ser onisciente, de ser onipresente, de perceber todas as coisas. Então, esta entrega é muito longa. Ninguém está entregue só porque se dedica a uma coisa. Ele está se dedicando a uma coisa, ele está no centro ainda, é ele que está de dedicando.
Então, estes Atributos nos levam a isto, ou vão nos levando a isto e, agora que nós já estamos mais ou menos com todos presentes, nós podemos já trabalhar esta Entrega do Ser de uma forma mais adulta. Podemos trabalhar esta Entrega do Ser um pouco além das nossas atitudes conosco no centro, porque enquanto sou eu, fazendo as  coisas como eu vejo, como eu acho, como eu sinto e como eu preciso, eu nem comecei esta entrega realmente.
Então, o início do trabalho é você ir se entregando, mas você está no centro, porque é você
que está se entregando. Isto é o início. Isto é o começo. Lá no fim, você já está vivendo, sentindo, percebendo, você está em função de todos e isto é muito importante, porque aí nós entramos num ritmo mais adulto e perdemos tantas ilusões de fazer tudo de melhor e de bom pra nós mesmos, com a desculpa de que é o bom e de melhor, e dizer que está entregue. E o próprio ritmo destes 12 Atributos vai nos levando pra esta Entrega mais ampla ou cada vez mais ampla, que nunca é completa.
Então dos 12 Atributos vamos vê-los em grupo de três, porque aí temos as quatro etapas, as quatro fases desse trabalho de entrega. Os três primeiros Atributos, nós iriamos chamar de fase ativa da entrega.
Como semente, não só romper a própria casca, mas perfurar o solo, este é o primeiro da fase ativa, porque diz romper, perfurar, isto subintende uma ação, interna ou externa, mas isto subintende uma ação.
O segundo Atributo Expressar a Vontade mesmo nas fases de transição, expressar também é ação.
E o terceiro Atributo, que é o de hoje, Alargar limites e arrancar as rochas que não se aplainam por si,  isto é ação.
Então hoje nós estamos no terceiro Atributo da ação. Hoje nós estamos chegando a um trabalho de aperfeiçoar a nossa ação.
Então nós temos esta primeira fase da entrega que é uma fase ativa e pelos Atributos, pelos três primeiros, vocês vão ver de que ação se trata, pra você estar numa entrega ativa.
Então não tem nada a ver com ações físicas, são todas ações de todo o ser, são ações da consciência.
Além dessa fase ativa, na Entrega do Ser, nós temos a segunda fase que é a fase da observância, observância das leis, observância do Atributo e essa fase da observância começa com:
Reverenciar perpetuamente.
Na simplicidade, chegar à Essência.
Reconhecer o impulso que leva à Realidade.
Aí vocês têm a fase da Observância, neste movimento da Entrega do Ser.
A terceira fase da Entrega, depois da entrega ativa e depois da observância das leis da entrega, a terceira etapa é a etapa de trabalho interior e os Atributos também nos ajudam neste trabalho interior. Tanto nos ajuda na ação, quanto nos ajuda na observância das leis da entrega, quanto nos ajuda neste trabalho interior e é simples reconhecer quais são os Atributos do trabalho interior:
Buscar em primeiro lugar a Fonte de Vida e deixar que o Regente coordene o seu ser. Aqui se fala em Fonte de Vida, aqui se fala em Regente e, para nós, no nosso nível de consciência, não há coisa mais profunda. Então isto é trabalho interior, na energia dos Atributos.
Depois o oitavo Atributo, que também é trabalho interior: Construir as bases, elevar as paredes e, então, entregar a Nova Morada. 
A Nova Morada, isto tudo diz respeito a vida interior. Nada disto é vida aqui fora e, o nono Atributo da fase do trabalho interior, que é Trabalhar e viver em solidão, tendo como única fonte de impulso o próprio mundo interior.  Aqui as palavras são bem claras.
Então na Entrega do Ser nós temos os Atributos da fase ativa, que são os primeiros três, temos os Atributos da fase da observância, que são os três seguintes, temos os Atributos da fase do trabalho interior, que são o sete, o oito e o nove e temos finalmente os Atributos da confirmação que são os três últimos:
Nem se punir, nem manter autocompaixão nem autocomplacência.
O outro, Estar no lugar correto e colaborar com as Hierarquias.Tudo isto é confirmação, isto são confirmações. Isto são os Atributos finais e o último Ter o Eterno como única Verdade. 
Que é a confirmação final da Entrega do Ser. Então para nós vermos este de hoje Alargar limites e Arrancar as rochas que não se aplainam por si, será bom que a gente veja o grupo todo da Entrega do Ser, desta forma, porque aí vocês vão depois, nos seus momentos de tranquilidade, nos seus momentos de estudo, de silêncio, vão ver isto como um Todo, para poderem absorver mais estes Atributos que restam.

(19:53) Então para Alargar limites, nós podemos entender muitas coisas, porque nós podemos estar alargando os nossos limites gradualmente e isto faz parte deste Atributo. Mas Alargar limites e Arrancar as rochas que não se aplainam por si, isto já é um alargamento de limites mais avançado, porque uma coisa é você estar alargando seus limites, ampliando a sua consciência. Uma coisa é você estar empurrando os seus hábitos, as suas idiossincrasias, as suas maneiras de pensar, não é? Você vai empurrando estas coisas todas, você vai rejeitando estas coisas todas, isto não deixa de ser alargar limites.
Então você vai empurrando aquilo que você é, você vai deixando de lado, você vai deixando pra trás, você vai alargando os seus limites, mas Arrancar as rochas que não se aplainam por si, isto já é um alargamento de limites um pouco mais decidido, porque estas Rochas que não se aplainam por si, são aquelas características nossas, aqueles nossos pontos que a gente não conseguiu transformar, ou que a gente não conseguiu transmutar.
Então veja que, durante a Entrega, você tem a transformação, durante a Entrega você tem a transmutação, você tem todos esses trabalhos. Mas Arrancar uma rocha que não se aplaina por si, esta... esta não vai resolver nem com a transformação que você fez até agora e nem com a transmutação que você conhece. Porque que aqui está escrito a palavra ROCHA?
Esta ROCHA, isto está querendo dizer, o que há de mais antigo em você. O que há de mais duro. O que há de mais ancestral em você, e isto, claro que você não conhece.
Você não conhece, porque rocha quer dizer uma coisa realmente muito antiga para nós.
Então, o que não se aplaina por si, isto podem ser aqueles aspectos nossos, aqueles nossos pontos, aquelas impressões, aquelas recordações, aquele modo de ser, que está nos nossos átomos permanentes, por isto é que diz ROCHA. Aquilo está muito arraigado, aquilo está como uma rocha nos nossos átomos permanentes, no nosso átomo permanente físico, no nosso átomo permanente astral e no nosso átomo permanente mental, e o que está nesses átomos e, que não é rocha, que são outras coisas, você consegue transcender através da transformação, da transmutação. Se você aprender a arte de se transformar, você aplaina muita coisa no seu ser. Se você tiver a Graça da Transmutação, você também aplaina muitas outras coisas, mais antigas, mais as rochas da Lemúria ou até anterior, quando nós éramos Reino animal, muito mais antigo que a Lemúria, neste planeta, isto são as rochas que não se aplainam por si. Então aqui é preciso realmente uma força especial. Uma decisão especial, porque isto que faz parte do ser, isto é muito antigo. Isto é rocha.
Isto tem que ser arrancado. Isto tem que ser arrancado, porque o ser  não está entregue com isto. Então aqui, estes Atributos, entram numa fase mais adulta. Nós estamos com coisas no nosso ser, para serem entregues, para serem arrancadas e que não será com as nossas forças, e que não será com a nossa transformação, que chega até a um certo ponto e não será com a transmutação, mas há necessidade de outra força, há necessidade de uma outra energia aqui. Então, como é que nós vamos arrancar estas rochas, ou como estas rochas vão ser arrancadas? Aqui precisa uma sintonia, precisa uma sintonia. Aqui não tem que fazer força. É um trabalho, mas não é um trabalho de fazer força.  Não se arranca estas coisas do ser fazendo força. Estas coisas que não se aplainam por si, esta se resolve com sintonia, por isso é que a linhagem dos Espelhos  é a linhagem deste grupo Entrega do Ser.
A linhagem dos Espelhos está neste grupo, representa a entrega do ser total e perfeita, por causa da sintonia. O Espelho representa sintonia, então este é o Atributo da Sintonia. Embora esteja falando de arrancar, de alargar, de rocha, ele é muito delicado. Então está falando de alargar, de arrancar, está falando de coisa dura, mas é o mais delicado de todos.
E aqui precisa uma sintonia cada vez mais fina, que precisa um alinhamento. Aqui precisa uma intenção cada vez mais desinteressada, cada vez mais sobre-humana, para realmente arrancar estas rochas. O ser humano tem que entrar em sintonia... com que plano?
Não é o caso de estar examinando. Porque estas rochas são realmente muito seguras no nosso ser, isto é muito antigo. Então esta sintonia, ela é para ser aperfeiçoada, ela é pra ser trabalhada, ela é pra ser assumida. Como se esta sintonia fosse para ser trabalhada perpetuamente, sempre. Mesmo porque, esta sintonia vai servir para outras coisas, em outras etapas, isto vai servir para outras coisas.
Quando nós cantamos um Atributo, ou quando nós usamos um Atributo desses, no momento da nossa oração, no momento da nossa Entrega, no momento do nosso silêncio, nós podemos fazer isto em nome da sintonia, porque aí a energia segue a nossa intenção. A energia segue um pensamento. Segue o nosso movimento. Então você pode estar cantando este Atributo ou pode estar pronunciando este Atributo com várias intenções. Se isto for feito como sintonia, se isto for usado para você estar mais sintonizado, com algo que você não sabe o que é, que você não imagina, como os Espelhos. 
Os Espelhos sintonizam, mas isto é infinito. Este programa, esta trajetória de um Espelho, de um ser Espelho, isto é infinito. Isto não tem fim. É como esta sintonia.
Então você tem que ter uma atitude, uma atitude de alinhamento sem limites. Você não tem nunca que ficar esperando. Já está sintonizado. Percebe o espírito deste Atributo! O Espírito disto. Então você busca sintonia sem estar examinando se a sintonia está correta, se você está fazendo bem, o que está acontecendo com a sintonia, aonde vai chegar. É a sintonia pela sintonia. Você vai se alinhando, vai buscando esta coisa interna, esta coisa superior, esta coisa suprema, esta coisa abstrata que não tem nome. Não tem definição pra você. É isto o que arrancam estas rochas; e antes de passar por esta experiência de você fazer esta sintonia com esta simplicidade, com esta ausência de teoria, porque aqui não tem nenhuma teoria sobre nada, estas rochas não se arrancam se você começa a teorizar, aqui trata-se de você estar em sintonia. Parece muito abstrato, mas não é. Isto é uma necessidade de todo ser Espelho. Isto é uma necessidade, ele está nesta linhagem. Se ele está nesta linhagem, se este Grupo de Atributos é desta linhagem, quem está trabalhando isto tem uma necessidade suprema desta sintonia, porque aqui não se trata de receber mensagens, nem de ficar fazendo comunicações. Isto tudo é o terra a terra dos Espelhos. Esses Atributos não estão nesse ponto. Esta é a sintonia que você não está calculando como ela está. Isto é uma sintonia pura. Existe essa sintonia de você estar se esforçando para sintonizar, como você está ali numa mesa de som, está trabalhando, está atento pra aquilo estar muito sintonizado. Esta não é uma sintonia material. Isto não é sintonia que se faça com aqueles botões que você vai apertando e que vai girando. Não é esta sintonia que se trata, quando se trata de Espelhos. Não é esta sintonia. Esta sintonia é aquela que se faz na maior simplicidade da tua entrega, em outras palavras, é aquela sintonia que acontece quando você está deixando de ser o centro daquilo que você vive, daquilo que você faz, daquilo que você pensa, daquilo que você busca, enfim, de toda a sua ação. Porque não se entende, não se concebe uma Hierarquia Espelhos com aquele ser no centro, com entidades no centro. O que está no centro ali, é realmente o TODO. Então estes Atributos tem essa energia, todos os Atributos desta série. Agora este terceiro é muito especial, porque se vocês refletirem um pouco ou se vocês tentarem visualizar o que são estas rochas que não se aplainam por si, que são aquilo que vocês tem dentro, ou tem nas células e que vocês não conseguem nem detectar, não conseguem nem saber o que é, mas sabem que está lá, isto aqui precisa sintonia, isto precisa você estar realmente voltado para esta coisa superior, você voltado pra esta coisa infinita sem colocar limite algum, sem colocar limite algum, sem colocar nenhum ponto de chegada. Por isso é que o Atributo diz "alargar limites". Agora alargar limites, como se disse, depende de cada um. Depende do que cada um vai fazendo neste trabalho. Mas você vai alargando seus limites, você vai fazendo força, você vai se entregando, você vai renunciando mas, você na Entrega do Ser vai chegar num ponto que é pura sintonia, puro Espelho e é aí que estas coisas se resolvem. Isto é um setor do Monastério realmente dos mais especiais pra esta época na qual esta humanidade da superfície concreta e que vive encarnada dentro de uma mente concreta, precisa alargar seus limites para entrar em sintonia ou com a raça futura ou com outros setores da raça humana atual que certamente não estão na vida física, não estão no plano físico e não estão na vida externa. Então aqui é realmente uma questão de sintonia e não é aquela sintonia de você ficar com dor de cabeça de tanto pensar na sintonia é o contrário. E há aqueles Seres Espelhos que atingiram uma tal maturidade que nem pensam mais na sintonia, já estão sintonizados. Então aqui se chega nesta etapa que o Atributo está indicando. Nesta etapa ativa e que depois vai passando para a fase da observância de algumas leis que estavam incluídas em tudo isto que se disse, no trabalho interior e finalmente no confirmar-se. Porque estas coisas não adianta nós dizermos "vou fazer'"e vai fazendo, porque estes caminhos são árduos. Quando você resolve fazer e vai fazendo, você vai passar por tantas provas, que você vai precisar se confirmar o tempo todo, porque a todo momento acontecem coisas pra te provar e a prova neste grupo da Entrega do Ser é esta. As provas são todas colocando a ênfase em você como centro das coisas. E a prova vem, você se sentindo o centro das coisas. " Então eu vou fazer porque eu estou sentindo isto, eu vou fazer porque eu acho que é assim, eu vou fazer porque estou fazendo o meu melhor". Isto tudo não tem nada a ver com a Consciência Monástica da Entrega do Ser. Você vai começar a fazer realmente esta Entrega Maior, quando não for mais você que está no centro, mas o que está no centro são todos e você vai entrando nesta totalidade, você vai entrando nesta Consciência Total realizando gradualmente todos os Atributos deste grupo. Repetimos, não ordenadamente, porque nós podemos ter já recordações de trabalhos espirituais anteriores, em vidas passadas. Nós podemos ter já bases construídas em vidas passadas de caminho que já fizemos. Então, de repente nós vamos pegar um Atributo que está lá no fim, lá no décimo segundo lugar e aquele o nosso começo e isto precisa ter realmente uma certa sintonia pra ir percebendo, não aquela sintonia que o grupo de Atributos da Entrega do Ser vai nos levar a fazer, mas o início da sintonia, o início desse alinhamento, que é o nosso Eu Interno, o nosso Eu Superior, depois o nosso Espírito, depois o nosso Regente, já que tudo isto é nominado neste grupo de 12 Atributos. Quando você tenta colocar em pratica esses Atributos imediatamente chega uma prova proporcional ao teu empenho. A prova vem na proporção da sua vontade de realizar aquilo. Então você pode ter uma vontade muito sincera, uma intenção grandiosa, você pode ter uma intenção pura, você pode estar decidida, honesta, sincera, dentro daquilo, a prova vem na proporção de tudo isto. Então quanto mais sincero você é, quanto mais autêntico você é, a prova vem em relação a isto. Enfim, a prova acompanha a tua intenção. A prova acompanha a tua proposta. Senão que prova seria? Seria uma prova para um indivíduo mais fraco. Seria uma prova para um ser que trabalha menos coisas ou que não trabalha nada, isto não é prova. A prova vem na proporção da tua compreensão. Então você já compreende muitas coisas, você já se sente muito evoluído, então você tá bem no centro da tua atenção, aí vem a prova, aí vem uma prova do tamanho da tua compreensão e é aí que eu quero ver você passar. Então esta entrega do ser é uma energia muito ampla, muito ampla e nós esperamos com estes dois ou três Atributos que no faltam, depois deste, a irmos ampliando esta nossa intenção diante da Entrega e realmente sairmos deste jardim da infância de dizer " eu vou fazer isto porque eu estou entregue" porque entregue não é isto, isto é entrega aqui no mundo, não é a Entrega Monástica, não é a Consciência Monástica da Entrega que é outra coisa, outro plano, outra Consciência e que não tem absolutamente nada a ver com coisas da Terra, é realmente você se deslocar de ser o centro da tua vida, de ser o centro da razão de tudo o que você faz e colocar ali todos. TUDO e TODOS. É disto que se trata com estes Atributos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ANIS ESTRELADO E A GRIPE H1N1

ORAÇÃO AO JUSTO JUIZ - ORAÇÃO DA PROSPERIDADE - ORAÇÃO DE AGRADECIMENTO

NÓDULOS LUNARES - DESCUBRA QUAL É O SEU CARMA